Antonio Parreiras, Leitura Matinal, 1916, óleo sobre tela

"As crianças, desde muito cedo, convivem com a língua oral em diferentes situações (...) o mesmo ocorre em relação à escrita. As crianças e os adolescentes observam palavras escritas em diferentes suportes (...), no entanto, é preciso recordar, que esse contato por si só, sem mediação não garante que nossas crianças e nossos jovens se alfabetizem" (MEC, p.69-70, 2007).